Paraná Clube empata com o Operário e fica na liderança isolada da Série B

23/08/20 ÀS 12:51 ATUALIZADO ÀS 22:12

Paraná Clube e Operário, de Ponta Grossa, empataram em 0 a 0 nesse domingo (dia 23), na Vila Capanema, pela 5ª rodada da Série B. Com o resultado, o time da capital segue na liderança, com 11 pontos. A equipe do Interior está na 3ª colocação, com 9 pontos. As duas equipes seguem invictas na competição. 

Em relação ao desempenho, o Paraná mostrou mais uma vez boa organização tática. Com a bola, faltou qualidade e precisão ao definir, mas o volume ofensivo dos laterais foi um dos destaques positivos. O Operário repetiu sua eficiência defensiva e seu jogo baseado na força física.

ESCALAÇÃO
O técnico Allan Aal decidiu repetir a escalação, mesmo que o time tenha uma maratona de jogos nesse mês, inclusive com uma partida na próxima quarta-feira pela Copa do Brasil, contra o Botafogo. O esquema tático era o 4-2-3-1, com Jhony Douglas e Meritão como volantes. A linha de três tinha Andrey (esquerda), Bressan (centro) e Pires (direita).

O Operário não contava com o centroavante Roger (35 anos, ex-Ponte Preta), que aprimora a parte física. Outras baixas eram Pedro Ken, Alex Silva, Peixoto e Rafael Chorão, todos em recuperação.

ARBITRAGEM
O Paraná pediu pênalti aos 19 do 1º. Bressan roubou a bola de Bonfim na área e, em seguida, foi puxado pela camisa pelo zagueiro do Operário. O lance é polêmico e depende da interpretação do árbitro.

PRIMEIRO TEMPO
Os primeiros 20 minutos foram dominados pelo Paraná, que teve domínio territorial e da posse. Foram três boas jogadas ofensivas da equipe da capital nesse período, com bons avanços e cruzamentos dos dois laterais. O Operário reagiu nos minutos finais e incomodou com jogadas individuais de Douglas Coutinho (ex-Athletico), bons passes de Marcelo e cobranças de escanteio perigosas de Tomas Bastos (ex-Coritiba).

SEGUNDO TEMPO
Depois do intervalo, a partida voltou equilibrada, com mais disputa física que jogadas ofensivas. O jogo ficou ‘truncado’. Aos 19, a primeira troca no Paraná, com a saída de Andrey para a entrada do ponta Wandson. O Operário fez três substituições aos 21.

Aos 37, Guilherme Biteco entrou para fazer sua reestreia pelo Paraná. Ele não atuava há 20 meses, desde janeiro de 2019.

No total do segundo tempo, o Paraná teve três boas jogadas ofensivas, enquanto o Operário levou perigo em um lance.

ESTATÍSTICAS
Ao fim de 90 minutos, o Paraná teve 16 finalizações (5 certas), 60% de posse de bola e 86% de eficiência nos passes. Já o Operário somou 10 finalizações (5 certas), 40% de posse de bola e 81% de eficiência nos passes. Os dados são do site Sofascore.

PARANÁ 0x0 OPERÁRIO
Paraná: Alisson; Paulo Henrique, Thales, Fabrício e Jean; Jhony Douglas e Higor Meritão; Gabriel Pires (Biteco), Renan Bressan e Andrey (Wandson); Bruno Gomes (Marcelo). Técnico: Allan Aal
Operário: Rodrigo Viana; Sávio, Bonfim, Reniê e Julinho (Fabiano); Jimenez; Thomaz (Lucas Batatinha); Marcelo, Tomas Bastos (Jardel) e Douglas Coutinho (Jean Carlo); Schumacher (Bustamante). Técnico: Gerson Gusmão
Cartões amarelos: Andrey (P). Jimenez (O)
Árbitro: Vinícius Gomes do Amaral (RS)
Local: Vila Capanema

PRINCIPAIS LANCES
Primeiro tempo
10 – Boa troca de passes do Paraná. Paulo Henrique cruza. Bruno Gomes tenta uma finalização acrobática, mas não acerta.
11 – Jean Victor cruza rasteiro. Na área, Bruno Gomes chega antes que a zaga e chuta perto, ao lado.
16 – Boa troca de passes que termina com chute de fora da área de Jhonyh Douglas.
19 – Bressan rouba a bola de Bonfim na área. O jogador do Paraná pede pênalti, por puxão de camisa. Lance polêmico.
24 – Marcelo lança. Douglas Coutinho domina na área, finta Thales e chuta. Alisson defende.
25 – Escanteio. Tomas Bastos tenta o gol olímpico. Alisson espalma para novo escanteio.
35 – Paulo Henrique toca para Bruno Gomes, que domina na área e acaba desarmado ao tentar a finalização.

Segundo tempo
14 – Coutinho cruza. Na área, Julinho cruza de primeira e Schumacher, livre, cabeceia sobre o gol.
18 – Andrey parte da ponta, corta para dentro e chuta forte. O goleiro espalma.
31 – Paulo Henrique cruza rasteiro. Bonfim tira mal. Bruno Gomes pega o rebote e tenta de bicicleta. A bola passa perto.
35 – Jean Victor cruza na medida. Gabriel Pires cabeceia fraco e o goleiro segura.
44 – Fabrício chuta de longe. O goleiro se atrapalha e rebate esquisitp, para escanteio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.