Mais da metade dos casos de aids no Paraná se concentra na faixa etária entre 30 e 39 anos

(Foto: Reprodução/Sesa-PR)

A Secretaria de Estado da Saúde promove nesta sexta-feira (29), em Curitiba, ação alusiva ao Dia Mundial de Luta contra a Aids, 1º de dezembro, instituído pela ONU em 1988, com o objetivo de alertar toda a sociedade sobre a doença. Serão oferecidos testes rápidos para detecção do HIV, das 9h30 às 16 horas, na Boca Maldita. A atividade acontece em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, Sesc/PR e Organizações não Governamentais.

De janeiro de 2007 até dezembro de 2018, o Paraná tem o acumulado de 20.283 casos de Aids. O maior número se concentra na faixa etária de 30 a 39 anos, com 54,6% dos casos. Quanto ao número de pessoas infectadas pelo vírus HIV, houve 18.763 registros de 2007 a 2017 no Estado.

“O Paraná faz um trabalho pioneiro de prevenção e controle à Aids, foi o primeiro estado a descentralizar para os 399 municípios os testes rápidos do HIV e, neste ano, tivemos duas cidades paranaenses, Curitiba e Umuarama, recebendo certificação de eliminação da transmissão vertical do HIV, que é a transmissão da mãe para o filho, durante a gestação. Foram as primeiras cidades brasileiras a receberem o título em 2019”, destaca o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

Ele ressalta que, além da prevenção, a secretaria desenvolve ações diárias, em parceria com as secretarias municipais, que visam monitoramento da doença, acolhimento e acompanhamento de casos e dispensação de medicamentos.

O Paraná mantém ainda atendimento especializado para gestantes com HIV, desde o acesso ao pré-natal, com encaminhamento para atendimento de alto risco, até o nascimento da criança. O Governo do Estado também disponibiliza um tipo de leite especial formulado para as crianças expostas ao HIV, garantindo a nutrição da criança até os 6 meses de idade.

DOENÇA – O vírus da Aids (HIV) destrói as células brancas do organismo, responsáveis por proteger e combater doenças no corpo humano. A pessoa infectada fica fragilizada, possibilitando a chegada de doenças como pneumonia, herpes, infecções e alguns tipos de câncer.

A Aids é transmitida por meio de relações sexuais sem preservativo, transfusões de sangue e compartilhamento de seringas e agulhas. A doença não tem cura. O tratamento, na rede pública, acontece com coquetéis antiaids, quando diagnosticada a tempo, melhorando a qualidade de vida do paciente.

“Por isso, a importância do teste rápido, principalmente, se a pessoa se expôs à relação sexual sem o uso do preservativo. O exame é feito com a coleta do sangue ou fluido oral que, submetidos a reagente, fornecem resultado positivo ou negativo em apenas 30 minutos. É um teste seguro e eficaz”, explica a chefe da Divisão de Infecções Sexualmente Transmissíveis da secretaria, Mara Franzoloso.

No caso de diagnóstico positivo, acrescenta Mara, a pessoa é encaminhada para novos exames e o tratamento tem início imediato. “Este exame pode, inclusive, evitar a instalação da Aids, caso seja feito no período da janela imunológica, que é o intervalo de tempo entre a infecção pelo vírus e a identificação de anticorpos produzidos pelo organismo”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.