APAGÃO: ‘COLAPSO’ DEIXA MILHÕES SEM ENERGIA NA ARGENTINA E NO URUGUAI

egundo a empresa de distribuição de energia da Argentina, o colapso afetou o Sul do Brasil

Informações G1

Mulher em sua casa durante apagão em Montevidéu, no Uruguai na manhã deste domingo, 16 — Foto: Miguel Rojo/AFP

Neste domingo (16), uma “falha massiva” no sistema de interconexão elétrica deixou “toda a Argentina e o Uruguai” sem energia elétrica, afirmou a Edesur Argentina, empresa de distribuição de energia do país.

O problema, segundo a Edesur, também afetou o Paraguai e o sul do Brasil. Porém, segundo a TV Globo, o Operador Nacional do Sistema informou que a situação na Argentina e no Uruguai está sendo monitorada, mas, até o momento, as autoridades não identificaram qualquer impacto no Brasil, nem mesmo na região sul do país.

Segundo a agência de notícias EFE, a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) e a empresa Rio Grande Energia, que compartilham os serviços de distribuição de energia em toda a Região Sul do Brasil, também informaram que o apagão nos países vizinhos “não teve reflexos” no território brasileiro.

Reestabelecimento da energia

Por volta das 10h20 deste domingo, 50 mil clientes já tinham tido a oferta de energia normalizada, de acordo com a Edesur.

Ainda pela manhã, a Secretaria de Energia da Nação, órgão do governo argentino, divulgou um informe:

“A Secretaria de Governo de Energia informa que hoje [domingo] às 7h07 aconteceu o colapso do Sistema Argentino de Interconexão (SADI), que produziu um corte massivo de energia elétrica em todo o país e que afetou também o Uruguai. As causas estão sendo investigadas e ainda não estão determinadas. Já foi iniciada a recuperação das regiões de Cuyo, NOA e Comahue e está sendo aberto o resto do sistema para continuar com a recuperação total, que se estima que pode levar algumas horas”, diz o comunicado.

Problema começou às 7h

Um alerta publicado no site da Edesur diz que “desde as 7h um colapso no sistema de interconexão elétrica deixou sem energia toda a Argentina, Uruguai, Paraguai e sul do Brasil”.

Por uma rede social, a empresa atualizou a informação às 9h42.

“Começou a entrada de geração elétrica ao sistema interconectado da Capital Federal e da Grande Buenos Aires. Se inicia o processo de normalização, que demandará várias horas”, escreveu a Edesur.

Às 9h53, uma nova atualização foi publicada. “Nosso Centro de Controle iniciou as demandas de normalização e lentamente começa a restaurar o serviço de energia elétrica à rede. Introduzimos os primeiros 34 mil clientes”, diz a nota.

Meia hora depois, esse número havia subido para 50 mil clientes. “Informamos que normalizamos o serviço a 50 mil clientes pelo ingresso à rede da Central Térmica Barragán. Além disso, as centrais Costanera (em Costanera Sur, Cidade Autônoma de Buenos Aires) e Dock Sud (sul da Grande Buenos Aires) começam a reiniciar seu serviço.”

Impacto no Uruguai

Já no Uruguai, segundo a EFE, a empresa estatal Administração Nacional de Usinas e Transmissões Elétricas (UTE) afirmou que a falha afetou boa parte do país, sobretudo as cidades do litoral do Rio da Prata, que inclui a capital Montevidéu.

A UTE ressaltou, porém, que “a partir do importanto corte regional o sistema já está sendo reiniciado do zero”, e que “segue restituindo o serviço acompanhando a situação regional”.

Por volta das 10h30, a empresa afirmou que o serviço ao norte do Rio Negro já estava reestabelecido, além de parte do litoral zul e da zona metropolitana de Montevidéu. “Ainda estão pendentes danos pelo temporal. Estamos trabalhando para repor o resto do sistema.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.