Pinhão já é vendido de maneira ilegal no Centro de Curitiba

 

Venda já acontece livremente no Centro de Curitiba. Foto: Colaboração

Apesar do alerta do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), quem passa por ruas e rodovias de Curitiba tem visto algumas pessoas vendendo pinhão antes da data permitida, dia 1º de abril. A prática é ilegal e, muitas vezes por falta de conhecimento, alguns compram o produto e acabam incentivando o crime.

Segundo as normas ambientais, a pessoa que for flagrada vendendo, transportando ou armazenando pinhão antes da data está sujeita a responder a processos administrativo e criminal, além de receber auto de infração ambiental e multa de R$ 300 para cada 60 quilos de pinhão.

Além da data para início da colheita, a regulamentação, ainda conforme o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), também proíbe em qualquer data o consumo e venda das sementes verdes, quando o pinhão apresenta cor esbranquiçada e alto teor de umidade. Nesse estado as pinhas podem conter fungos e ser prejudicial à saúde.

Denuncie!

Denúncias sobre a venda irregular de pinhão e outras infrações ambientais podem ser feitas por meio do link “Fale Conosco” no site do IAP ou diretamente nos Escritórios Regionais do órgão ou na Polícia Ambiental.

“A participação da sociedade denunciando, e, principalmente, não comprando pinhão antes da data permitida, assim como pinhas verdes, é muito importante para garantir a perpetuidade das araucárias”, disse o diretor de Restauração e Monitoramento Florestal do IAP, Francelo Mognon.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.