De virada, Paraná vence o Guarani e retoma a liderança da Série B

Com gols de Bruno Gomes e Jhony Douglas, Tricolor vence a primeira longe de Curitiba

 em 18 de agosto, 2020 as 23h28.

Bruno Gomes comemora segundo gol dele na Série B

O Paraná conquistou a terceira vitória seguida nesta Série B, a primeira longe de Curitiba. Em Campinas, o Tricolor  venceu de virada o Guarani por 2 a 1, Bruno Gomes e Jhony Douglas marcaram para o Tricolor na segunda etapa. Bruno Sávio, aos 27 minutos da primeiro tempo abriu o placar. Com a vitória do Operário diante do CSA, a equipe de Ponta Grossa, assumiu a liderança momentânea  da Série B, mas o triunfo no interior paulista, a equipe paranista retomou a liderança isolada da competição.

O Guarani terá praticamente uma semana até o próximo. A equipe de Campinas vai  até Santa Catarina para enfrentar a Chapecoense na próxima segunda-feira (24), às 20h. O Paraná terá um duelo estadual pela quinta rodada da Série B. A equipe de Allan Aal recebe o Operário no domingo (23) às 11h.

A novidade na escalação foi a entrada da Bruno Gomes no lugar de Raphael Alemão, que rescindiu com o Tricolor e vai atuar no futebol do Azerbaijão. A alteração que seria comum, surtiu pouco efeito.  O centroavante que teve a primeira oportunidade de começar como titular teve uma oportunidade, jogada de Andrey pela esquerda, o camisa 11 cruzou para Bruno Gomes que furou na hora do chute. O goleiro Jeferson Paulino durante todo o primeiro tempo, fez apenas uma defesa, Gabriel Pires arriscou de fora da área e o goleiro do Guarani mandou para escanteio.

Enquanto o Paraná teve dificuldades ofensivas, o Guarani além de ter maior posse de bola, criou boas oportunidades de gol. Em chutes de longes, Lucas Crispim e Giovanny levaram perigo. Mas o destaque do primeiro tempo é para Bruno Sávio, substituto de Júnior Todinho. O camisa 22 teve duas chances. Na primeira, o atacante fez jogada individual, passou por dois marcadores e chutou em cima do zagueiro Fabrício. Na segunda, de fora da área, ajeitou para a perna direita e soltou a bomba para abrir o placar em Campinas.

Na segunda etapa, o Paraná tentou voltar com uma postura diferente, mas o nervosismo atrapalhou. Com mais posse de bola, o Tricolor pressionou, até chegar ao gol de empate. Paulo Henrique recebeu lançamento, fez cruzamento rasteiro e Bruno Gomes mandou para as redes. Logo na saída de bola, o Guarani se lançou ao ataque, passe da esquerda e Giovanny de primeira, bateu forte e Alisson fez uma linda defesa.

Aos 29 minutos da segunda etapa, Tricolor continuava pressionando, no mesmo lance Renan Bressan e Higor Meritão pararam no goleiro da equipe de Campinas. Porém no escanteio, Jhony Douglas se antecipou e testou firme para fazer o segundo do Paraná. Nos minutos finais, o Guarani tentou pressionar, mas não conseguiu acertar o gol.

FICHA TÉCNICA

GUARANI 1X2 PARANÁ CLUBE

Local: Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas
Data: Terça-feira, 18 de agosto de 2020
Horário: 21h30
Árbitro: Paulo César Zanovelli (MG)
Assistentes: Marconi Helbert Vieira (MG) e Helen Aparecida Gonçalves Silva Araújo (MG)https://2714ba5c55829f7c492318f236906df0.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Guarani: Jefferson Paulino; Pablo, Wálber, Didi e Bidu; Deivid, Eduardo Person (Igor Henrique), Lucas Crispim e Giovanny (Rafael Costa); Waguininho e Bruno Sávio (Cristovám).
Técnico: Thiago Carpini

Paraná: Alisson; Paulo Henrique, Thales, Fabrício e Jean Victor; Jhony, Higor Meritão e Renan Bressan; Gabriel Pires (Marcelo), Andrey e Bruno Gomes (Kaio).
Técnico: Allan Aal

Gols: Bruno Sávio aos 27 minutos do 1º tempo; Bruno Gomes aos 16 minutos  e Jhony Douglas aos 29 minutos do 2º tempo
Cartões amarelos: Waguininho, Marcelo e Romércio (GUA); Gabriel Pires (PRC)

Pandemia, desistências e falta de debates ‘esfriam’ campanha para prefeito de Curitiba

(Foto: Franklin de Freitas/Valquir Aureliano)

l12/11/20 às 23:00 Atualizado às 22:32

As restrições provocadas pela pandemia do Covid-19, a desistência de alguns pré-candidatos mais competitivos da disputa e a falta de mais debates marcaram a campanha no primeiro turno da disputa pela prefeitura de Curitiba, neste ano, ajudando a “esfriar” ainda mais o clima da sucessão municipal na Capital paranaense. Apesar do número recorde de candidatos no século, com dezesseis concorrentes, em nenhum momento a campanha pareceu empolgar ou envolver a maioria dos eleitores, mais preocupados com a sobrevivência cotidiana em meio à uma grave crise sanitária e econômica. 

Antes mesmo da disputa começar, o prefeito Rafael Greca (DEM) foi beneficiado pela desistência dos deputados federais Ney Leprevost (PSD), Luizão Goulart (Repub) e Luciano Ducci (PSB), que se retiraram da eleição a pedido do governador Ratinho Júnior (PSD). Além disso, o também deputado federal e ex-prefeito Gustavo Fruet (PDT), também desistiu alegando falta de dinheiro para a campanha, sendo substituído na última hora pelo deputado estadual Goura (PDT).

Crise
O enfrentamento da pandemia e o cenário pós-Covid foi justamente um dos principais temas da disputa. O prefeito e candidato à reeleição, Rafael Greca (DEM), defendeu as medidas tomadas por sua gestão, como o fechamento parcial do comércio no início da crise, e os repasses para as empresas de transporte coletivo para a manutenção do serviço. Em entrevista ao Bem Paraná, chegou a afirmar que “não faria nada diferente”, e acusou os adversários de explorarem eleitoralmente o problema sanitário.

Já os adversários de Greca, em sua maioria, criticaram o que chamaram de “vai e volta” da prefeitura em relação ao comércio, criticaram a ajuda às empresas de ônibus, cobrando ainda a falta de auxílio para pequenas e microempresas. Além disso, parte dos candidatos de oposição participou de debates em praças públicas, próximo à casa do prefeito e da sede da prefeitura, criticando a ausência de Greca. O prefeito não participou do único debate realizado por uma TV aberta no primeiro turno, na Band em 1º de outubro, alegando risco de contaminação do Covid. Greca ficou quatro dias internado com pneumonia causada pelo coronavírus, mas se recuperou rapidamente.

O momento mais tenso da campanha ocorreu já na penúltima semana da disputa, quando o candidato do PSL, Fernando Francischini, levou ao ar uma série de acusações, tentando acusar Greca de favorecer empresas de sua família em contratos de asfalto e desapropriação de imóveis. O prefeito comprovou não ter relação de parentesco com a empresa de asfalto e apontou que a compra do terreno em questão foi feita por critérios técnicos e preços de mercado. Na Justiça Eleitoral, Greca conseguiu três direitos de resposta contra Francischini e a proibição da veiculação das acusações, deixando o adversário fora da propaganda eleitoral no rádio e na TV na última semana de campanha.

PODE NÃO PODE
Não pode
– Uso de alto-falantes e amplificadores de som ou a promoção de comício ou carreata;
– arregimentação de eleitor ou a propaganda de boca de urna;
– divulgação de qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos;
– publicação de novos conteúdos ou o impulsionamento de conteúdos nas aplicações de internet (podendo ser mantidos em funcionamento as aplicações e os conteúdos publicados anteriormente);
– aglomeração de apoiadores – Estão proibidas aglomerações de pessoas com roupa padronizada até o término do horário de votação;
Pode
Manifestação silenciosa – No dia da eleição, estão permitidas manifestações individuais e silenciosas da preferência do eleitor pelo uso de camisetas, bandeiras, broches e adesivos.

CASO DE POLÍCIA
PF prende cinco com panfletos apócrifos contra Greca
A Policia Federal instaurou inquérito para apurar panfletos falsos distribuídos, ontem de novembro, em vários pontos de Curitiba contra o prefeito Rafael Greca, candidato à reeleição pelo DEM. Cinco pessoas foram presas em flagrante pela Polícia Militar, com sacos cheios de material que estavam sendo espalhados no Ceasa, Tatuaquara e demais bairros. Foram levados para a Polícia Federal.
“Minha campanha seguirá com a mesma alegria e amor por Curitiba“, disse Greca.

Em cinco anos, número de pessoas na extrema pobreza cresce 66% no Paraná

Moradores de rua e carrinheiros em Curitiba: mais gente vive na pobreza no Paraná
Moradores de rua e carrinheiros em Curitiba: mais gente vive na pobreza no Paraná (Foto: Valquir Aureliano)

12/11/20 às 23:00 Atualizado às 23:01

O que é possível fazer com R$ 150 na carteira? De repente encher o tanque de combustível, pagar uma ou outra conta atrasada ou ainda aproveitar com mais alguém o rodízio completo do tradicionalíssimo Restaurante Madalosso, em Santa Felicidade (o valor está em R$ 59 por pessoa). No Paraná, contudo, é crescente o número de pessoas que contam com esse valor (ou até mesmo menos) para sobreviver um mês inteiro.

Conforme a Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2019 haviam quase 300 mil paranaenses (o equivalente a 2,6% da população) vivendo na extrema pobreza, com R$ 150 por mês ou menos (US$1,90 PPC), valor referente ao rendimento domiciliar per capita. Em 2014, eram 180.200 pessoas vivendo nessa condição (1,6% da população), o que aponta para um aumento de 65,5% em cinco anos.

Não foi só a extrema pobreza, contudo, que avançou. O número de pessoas vivendo na pobreza, medida pela linha de US$ 5,5 PPC (R$ 436 por mês), também cresceu: em 2014, eram 1.224.984 paranaenses (11,2% da população) e em 2019 o contingente já somava 1.574.683 (13,8%), com avanço de 28,5% no período.

Já o Índice de Gini, instrumento para medir o grau de concentração de renda em determinado grupo, teve melhora significativa, chegando a 0,476 em 2019, melhor resultado para o estado desde 2015 (0,454). O índice varia de zero a um, sendo que o valor zero representa a situação de igualdade, ou seja, todos têm a mesma renda, enquanto o valor um está no extremo oposto, isto é, uma só pessoa detém toda a riqueza. O Paraná é ainda a quinta unidade da federação com melhor resultado no país, atrás apenas de Rondônia (0,472), Goiás (0,459), Mato Grosso (0,456) e Santa Catarina (0,422).

Por outro lado, o rendimento médio per capita do paranaense teve leve retração no último ano, passando de R$ 1.605 para R$ 1.586 (variação de -1,2%) e encerrando uma sequência de três altas consecutivas. As desigualdades de gênero e principalmente de raça, entretanto, ainda são grandes.

Um homem no Paraná, por exemplo, recebe em média R$ 1.603 por mês. Uma mulher, por outro lado, afere R$ 1.570, uma diferença de 2,1%.

Com relação à raça, o rendimento médio de uma pessoa branca é de R$ 1.827, enquanto o rendimento domiciliar per capita da população parda é de R$ 1.137 e o da população preta, de R$ 1.159. Então, uma pessoa branca recebe 60,4% a mais do que uma pessoa preta ou parda no Paraná.

Desocupação mais que dobra
A taxa de desocupação voltou a cair no Paraná em 2019 pela terceira vez consecutiva, chegando a 8,1%, melhor resultado desde 2016. Ainda está longe, contudo, de retomar o patamar verificado em 2014, quando a taxa de desocupação atingiu 3,9%, menor nível da série histórica do IBGE. Em cinco anos, portanto, a taxa de desocupação no estado mais do que dobrou, com um aumento de 107,7%.

Além disso, praticamente um quarto dos desocupados (23,4% das pessoas sem emprego) estavam sem conseguir colocação no mercado de trabalho há pelo menos dois anos. Na comparação com 2018, quando essa taxa estava em 24,9%, houve uma aimportante redução. Mas o resultado ainda é bem pior do que o verificado em anos anteriores – em 2014 e 2013, por exemplo, 12,4 e 12,1% dos trabalhadores desocupados estavam há tanto tempo fora do mercado.

Entre os jovens de 15 a 29 anos de idade, 17,5% não estudavam e não estavam ocupados em 2019. O porcentual foi menor que em 2018 (17,7%), em decorrência do aumento do nível de ocupação.

Quase metade dos paranaenses estudou só até o ensino fundamental
No tocante à educação, chama a atenção o fato de quase metade (46,9%) da população paranaense ter estudado, no máximo, até completar o ensino fundamental.

Ao todo, 4,9% dos cidadãos não têm qualquer instrução, 33,3% possuem o ensino fundamental incompleto e 8,7%, o fundamental completo.

Há ainda 4,9% com ensino médio completo, 25,9% com o ensino médio completo, 3,3% com o ensino superior incompleto e 18,9% com o ensino superior incompleto.

A média de anos de estudos na população entre 18 e 29 anos registrada pela PNAD Contínua em 2019 foi de 11,8 anos, apresentando melhoras consecutivas desde 2016, quando esse valor estava em 11,4.

Ainda assim, o estado ainda não alcançou a meta do Plano Nacional de Educação (PNE), que é de 12 anos de estudo até 2024. Aliás, as únicas unidades da federação que já conseguiram atingir a meta até aqui foram Distrito Federal (12,6), São Paulo (12,3) e Santa Catarina (12,0).

QUADRO DA EVOLUÇÃO DA POBREZA NO ESTADO DO PARANÁ

Evolução da pobreza
(medida pela linha de US$ 5,5 PPC)

2019: 13,8%
2018: 13,7%
2017: 14,2%
2016: 14,2%
2015: 12,9%
2014: 11,2%
2013: 13,3%
2012: 14,5%

Evolução da extrema pobreza
(medida pela linha de US$ 1,90 PPC)

2019: 2,6%
2018: 2,7%
2017: 2,5%
2016: 2,0%
2015: 1,8%
2014: 1,6%
2013: 1,5%
2012: 2,0%

Variação do Índice de Gini 2019: 0,476
2018: 0,493
2017: 0,480
2016: 0,478
2015: 0,454
2014: 0,466
2013: 0,474
2012: 0,483

Num ano como 2020, nunca é ruim lembrar que vem aí a sexta-feira 13

(Foto: Divulgação)

12/11/20 às 20:33 Atualizado às 21:36

Vem aí a sexta-feira 13, um dia que na cultura popular está ligada ao azar e o mau agouro. E, num ano como 2020, com a pandemia e a crise econômica, nunca é demais ficar em alerta, certo?

Neste ano são duas sextas-feiras 13. A outra foi em março. Em 2021, pelo menos, será apenas uma data como esta, no mês de agosto.

Apesar das crendices, esse dia no calendário é um mito que o cinema aproveitou para promover filmes, como a franquia “Sexta-Feira 13”, que aliás estará em cartaz no drive-in da Pedreira Paulo Leminski, às 23 horas, com direito a terror e sustos.

Todos de máscara: assim será a eleição para prefeito de Curitiba, neste domingo

Os 16 candidatos
Os 16 candidatos (Foto: Reprodução / Facebook e Divulgação / TV Band)

l12/11/20 às 23:00 Atualizado às 22:31

Com a pandemia da Covid-19 voltando a dar sinais de crescimento no Brasil e no mundo, o primeiro turno das eleições municipais deste ano, neste domingo (15), acontecem em meio a uma série de restrições e cuidados. Em Curitiba, são 16 candidatos a prefeito e mais de mil a vereador.

As principais providências nas eleições diante da pandemia são o uso obrigatório de máscaras e a manutenção distanciamento de um metro entre os eleitores.

Para evitar aglomerações, o horário de votação foi ampliado em uma hora, e ocorrerá das 7 horas às 17 horas. A Justiça Eleitoral recomenda que o horário das 7 horas às 10 horas seja destinado às pessoas com mais de 60 anos.

Mesmo com a pandemia, o voto continua obrigatório para quem tem entre 18 e 69 anos. Quem não votar e não justificar dentro do prazo de 60 dias, leva multa de R$ 3,51, e fica com o título irregular — não consegue, por exemplo, se inscrever em concurso público, tirar passaporte ou RG. Somente os eleitores que tiverem febre no dia da votação ou pegaram Covid-19 nos 14 dias antes da eleição devem ficar em casa, segundo a orientação da Justiça Eleitoral, apesar de não estarem proibidas de votar.

Neste ano, com a pandemia, a Justiça Eleitoral também permitiu que os eleitores que não puderem votar possam justificar a ausência pelo aplicativo E-Título, disponível na página do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ou pelo sistema “Justifica”, também no site do órgão.

Hora de votar

Ao entrar em sua respectiva seção eleitoral, o eleitor deverá ficar em frente à mesa respeitando a distância de pelo menos um metro. O eleitor deverá exibir o seu documento ao mesário a distância, esticando os braços em direção a ele. O TSE também recomenda que o eleitor leve sua própria caneta.

Caso o mesário não consiga fazer a identificação, ele poderá pedir que o eleitor dê dois passos para trás e abaixe rapidamente a máscara.

Após digitar os dados, o mesário vai ler em voz alta o nome do eleitor. Se o nome estiver correto, o eleitor poderá guardar seu documento e limpar as mãos com álcool em gel para assinar o caderno de votação. Se precisar do comprovante de votação, o eleitor deverá solicitar ao mesário.

Quando a urna for liberada, o eleitor seguirá para a cabine de votação para digitar o número dos candidatos a prefeito e a vereador. Após votar, deverá limpar novamente as mãos com álcool em gel e sair da seção.

PASSO A PASSO

Veja os cuidados ao votar
Use máscara o tempo todo
Leve a própria caneta à seção
Higienize as mãos antes de assinar o caderno de votação e depois da votação na urna eletrônica
Mantenha o distanciamento físico de um metro nas filas e na seção eleitoral
É recomendado apenas mostrar o documento oficial com foto para o mesário
Não vá votar em caso de febre ou se tiver tido Covid-19 nas duas últimas semanas
Documentos
Para o dia da votação é necessário apresentar um documento de identidade oficial com foto. O título de eleitor não é obrigatório, mas nele está indicado o local da zona e da seção eleitoral
Confira os documentos aceitos
Carteira de identidade
Passaporte
Carteira de categoria profissional reconhecida por lei
Certificado de reservista
Carteira de trabalho
Carteira nacional de habilitação
Também será possível votar com o e-Título (aplicativo que substitui a versão física do título de eleitor) desde que o eleitor já tenha feito o recadastramento biométrico e que a via digital apresente a fotografia
Como votar na urna eletrônica
O eleitor deverá votar para vereador (cinco dígitos) e prefeito (dois dígitos), nesta ordem. O eleitor deverá digitar o número do candidato. Na tela, aparecerão foto, número e a sigla do partido do candidato escolhido. Verificada as informações, aperte a tecla verde (confirma). Há ainda as opções do voto nulo e branco. É permitido levar uma cola eleitoral
Anote o número dos candidatos
Os eleitores também devem levar anotados os nomes e números dos candidatos, a famosa “cola eleitoral”, para votar o mais rápido possível
Não leve acompanhantes
Eleitor não deve levar crianças nem acompanhantes para o local de votação
Justificativa de ausência
Eleitor poderá justificar a ausência por meio do aplicativo e-Título. Além das formas convencionais, com o preenchimento do Requerimento de Justificativa Eleitoral (RJE) em qualquer seção eleitoral ou pelo sistema justifica no site do TSE (tse.jus.br/)

MUDANÇA
Quem vota no Colégio Estadual do Paraná deve ir ao Círculo Militar

A Justiça Eleitoral do Paraná informa que Colégio Estadual do Paraná, tradicional local de votação de Curitiba, passa por reformas e, por este motivo, os eleitores devem dirigir-se ao Clube Círculo Militar (Largo Bittencourt, 187, Centro) para votar. Os eleitores já foram comunicados por SMS e também há faixas no local indicando a mudança.

A recomendação é que todos os eleitores confiram o seu local e votação no site do Tribunal ou pelo app e-Título antes de sair de casa no domingo.

Também é possível conferir o local de votação por meio do assistente virtual da Justiça Eleitoral no WhatsApp, basta adicionar o telefone +55 61 9637-1078 a sua lista de contatos ou acessar diretamente pelo link wa.me/556196371078. Já o TRE-PR disponibiliza o Serviço de Atendimento Telefônico – Eleições 2020 pelo número 0800 640 8400.

Para seguir as regras sanitárias de distanciamento e garantir acessibilidade ao eleitor, houve alterações de endereço em locais de votação da capital e do interior. Os eleitores foram informados da alteração de endereço por meio de carta ou mensagem no celular. Na dúvida, o eleitor deve entrar em contato com o seu cartório eleitoral.

No dia da eleição separe seu título de eleitor e também o guarda-chuva

(Foto: Franklin de Freitas)

12/11/20 às 23:00 Atualizado às 23:07

Domingo (15), dia do primeiro turno das eleições para prefeito e vereadores, pode ser com chuva em parte do Paraná. Segundo a previsão do tempo, os dias de sábado (14), domingo (15) e segunda-feira (16) terão a possibilidade de instabilidade e a temperatura volta a ficar elevada, com pancadas de chuva a qualquer hora do dia, mas pontual e rápida. Porém, não se descarta temporais, e bem no domingo.

Em Curitiba, a previsão para o fim de semana é de tempo nublado neste sábado e chuva no domingo. Nesta sexta-feira (13), assim como na quinta, o céu fica parcialmente encoberto com chance de alguma chuva localizada. A chuva da quarta-feira na Região Metropolitana de Curitiba ajudou a aliviar um pouco o sistema que abastece a região. Os reservatórios tiveram uma alta em relação ao começo da semana. O maior ganho foi para o Passaúna que estava com 34,79% da sua capacidade e foi para 36,04% na quinta-feira (12). Somadas as quatro barragens da região, o nivel era de 27,80% nesta quinta. Antes da chuva estava em26,77%.

Sanepar divulga rodízio na Grande Curitiba até dia 21 e reforça alerta sobre nível das barragens

(Foto: Franklin de Freitas/Arquivo Bem Paraná)

12/11/20 às 15:32 Atualizado às 22:38AN-PR

A Sanepar divulga a tabela do rodízio de abastecimento em Curitiba e Região Metropolitana até 21 de novembro. A combinação da economia por parte da população e as captações emergenciais de água permite que a companhia mantenha o abastecimento. Na quarta-feira (11), a crise hídrica chegou ao seu pior cenário, com 26,7% de reservação, o nível mais baixo da história de medição das barragens que compõem o Sistema de Abastecimento Integrado da RMC.

Cálculos da Sanepar mostram que, sem essas medidas, o sistema entraria em colapso no dia 29 de novembro. Ou seja, a partir dessa data não haveria mais água disponível para o abastecimento público. A companhia agradece a colaboração da população e alerta para a necessidade de manutenção do uso racional da água.

Clique aqui para ver as tabelas do rodízio

Situação crítica

Depois de semanas sem chuvas significativas, Curitiba e região enfim registraram precipitação consistente. Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), em 24 horas choveu o equivalente a 62 mm em Curitiba. A Região Metropolitana de Curitiba (RMC) passa pela pior estiagem das últimas décadas e, desde março, está no sistema de rodízio no abastecimento de água.

O volume de chuva de quarta-feira (11) não resolve a situação, mas pode dar um alívio ao sistema de armazenamento de água da região, que vinha definhando. Ontem, o volume associado das quatro barragens que servem a RMC atingiu seu menor nível histórico — apenas 26,77%.

Se — e quando — chegar a 25%, a Sanepar será obrigada a tomar medidas mais drásticas, com o rodízio no abastecimento, que hoje é de 36 horas com água e 36 horas com o fornecimento, subindo para 48 por 24.

Mas, se a água da chuva de ontem chegar aos reservatórios — Iraí, Pirquara I, Piraquara II e Passaúna — pode dar um alívio por mais um mês pelo menos. Segundo a Sanepar, a região precisa de no mínimo 100 mm de chuva por mês para garantir o abastecimento de água para a população.

Colégio Positivo oferece bolsas de estudo em Curitiba. Veja como se candidatar

(Foto: Divulgação/Assessoria de imprensa)

10/11/20 às 14:24 Atualizado às 19:10Da Redação Bem Paraná com assessoria

O Colégio Positivo oferece 130 bolsas de estudos para os Anos Finais do Ensino Fundamental e a 1° série do Ensino Médio, em Curitiba. O valor de desconto pode ser de até 100%, dependendo da classificação do estudante no processo de seleção. Para o Ensino Fundamental estão disponíveis dez bolsas para cada ano (6º ao 9º), em cada uma das unidades participantes do concurso. Por sua vez, as bolsas de Ensino Médio são oferecidas a estudantes que concluem o último ano do Ensino Fundamental em 2020.

O concurso oferta bolsas para duas sedes de Curitiba que oferecem Ensino Fundamental (Água Verde e Boa Vista) e cinco sedes que oferecem Ensino Médio na cidade (Ângelo Sampaio, Boa Vista, Jardim Ambiental, Hauer e Batel). Ao todo, são 80 vagas para o Ensino Fundamental e 50 para Ensino Médio, todas em período regular, matutino.

As inscrições para o processo seletivo vão até 7 de dezembro e podem ser feitas gratuitamente pelo site do colégio. As provas acontecem no dia 12 de dezembro, nas respectivas sedes, e contam com questões de múltipla escolha, divididas entre as áreas de Matemática, Ciências, Língua Portuguesa, História e Geografia. São 40 questões para quem disputa as bolsas do Ensino Fundamental, e 50 questões para o Ensino Médio. Informações e inscrições: http://www.colegiopositivo.com.br

Serviço

Processo Seletivo para bolsas de estudo do Colégio Positivo

Inscrições: até 7 de dezembro

Valor: gratuito

Prova: 12 de dezembro de 2020

Locais de prova Ensino Fundamental:

Colégio Positivo – Água Verde (Rua Dr. Pedro Augusto Mena Barreto Monclaro, 411 – Água Verde, Curitiba – PR)

Colégio Positivo – Boa Vista (Rua Carlos de Campos, 1090 – Boa Vista, Curitiba – PR)

Locais de prova Ensino Médio:

Colégio Positivo – Ângelo Sampaio (R. Alf. Ângelo Sampaio, 2300, Curitiba, PR)

Colégio Positivo – Boa Vista (Rua Carlos de Campos, 1090 – Boa Vista, Curitiba – PR)

Colégio Positivo – Hauer (Rua Anne Frank, 1919 – Hauer, Curitiba, PR)

Colégio Positivo – Batel (Av. Sete de Setembro, 4228, Curitiba – PR)

Colégio Positivo – Jardim Ambiental (Rua Itupava, 985, Curitiba – PR)

Informações e inscrições: https://colegiopositivo.com.br

A história do Estádio Durival Britto e Silva, sede da Copa do Mundo de 1950.

Quando inaugurado, o estádio passou a ser o terceiro maior do país, atrás do Pacaembu, em São Paulo e o São Januário, no Rio de Janeiro

11 de novembro de 2020

Inaugurado em 23 de janeiro de 1947, o Estádio Durival Britto e Silva, também conhecido como Vila Capanema, comporta 20.083 espectadores. Quando inaugurado, o estádio passou a ser o terceiro maior do país, atrás do Pacaembu, em São Paulo e o São Januário, no Rio de Janeiro. A primeira partida realizada no estádio foi um jogo amistoso para testar a iluminação que terminou na vitória do fluminense por 5 a 1 em cima do antigo Ferroviário. Hoje, o mandante e proprietário é o Paraná Clube. O estádio fica localizado na cidade de Curitiba, no estado do Paraná.

O estádio foi nomeado Durival Britto e Silva como uma homenagem ao superintendente da Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (RVPSC). O terreno onde o estádio foi construído era de propriedade da RVPSC. Já o seu apelido é devido ao antigo nome do bairro onde ele está localizado, Vila Capanema, que hoje se chama Jardim Botânico devido ao ponto turístico da cidade, o Jardim Botânico.

Em 1950, o estádio chegou a ser uma das sedes da Copa do Mundo no Brasil. A construção foi feita pelo Ferroviário que após uma fusão com o Britânia S.C. e com o Palestra Itália F.C., formou o Colorado Esporte Clube. Anos depois, em 1989, o Colorado se juntou ao Esporte Clube Pinheiros, virando o Paraná Clube, o atual dono do estádio, time que está na Série B do Campeonato Brasileiro de 2020.

Em 2018, o então presidente da república, Michel Temer, encerrou a disputa judicial pela posse do terreno, quando assinou uma medida provisória dando a posso do Durival de Britto e Silva ao Paraná clube por trinta anos, que poderão ser renovados por igual período ou por tempo indeterminado.

COPA DO MUNDO DE 1950

Quando o brasil ganhou o direito de sediar a copa do mundo, a Federação Paranaense de Futebol cedeu à antiga CBD, hoje CBF, o Estádio Durival Britto e Silva, recém construído. Após ser aprovada, pela comissão de vistoria de estádios, a Vila Capanema passou a ser um dos locais sede para jogos os jogos da copa.

O jogos da Copa realizados no estádio foram: Espanha e Estados Unidos; Paraguai e Suécia.

Outros jogos importante realizados no estádio foram: a final do paranaense de 1950 entre Ferroviário (vice) e Coritiba (campeão); a final do paranaense de 1965 entre Ferroviário (campeão) e Coritiba (vice). O título de “Campeão do Centenário” para o ferroviário. Final do paranaense de 1980 entre Colorado e Cascavel, onde as duas equipes foram consagradas campeãs. Em 93, o Paraná foi campeão paranaense na final contra o Matsubara por 3 a 1 na frente de 16 mil torcedores.

No fim de 2005, foi feita uma revitalização do estádio, com reformas no gramado, bares, banheiros e ampliação com construção de novos setores e camarotes. A obra foi orçada em quase dois milhões e meio de reais. A reinauguração foi feita dia 20 de Setembro de 2006, na vitória do Paraná sobre o Fortaleza por 2 a 0, pelo campeonato brasileiro.

Em 2007, o Paraná clube jogou 5 jogos internacionais na Vila, pela Copa Libertadores da América, até ser eliminado em um jogo contra o Libertad do Paraguai no mata a mata. Na fase de grupos, o Paraná enfrentou no estádio as equipes: Flamengo, Real Potosí da Bolívia e o Union Maracaibo da Venezuela. Na pré libertadores o clube paranaense enfrentou o Cobreloa do Chile.

Chuva de granizo atinge Curitiba nesta terça-feira; veja fotos

3 de novembro de 2020, 18:45

chuva de granizo em curitiba, chuva de granizo, chuva, curitiba, temporal, colaboração

Colaboração

Uma forte chuva de granizo atingiu várias regiões de Curitiba no final da tarde desta terça-feira (3). O tamanho das pedras de gelo chamou a atenção pelo potencial de estragos em casas e carros (veja ao final a galeria de fotos). A Defesa Civil de Curitiba alerta para a possibilidade de novas chuvas localizadas ao longo das próximas horas.

A intempérie se formou repentinamente. Em algumas regiões, a chuva forte durou poucos segundos. Em outras, relatos dão conta de que as pedras de gelo caíram durante vários minutos.

Defesa Civil de Curitiba informou que as pancadas de chuva com granizo, acompanhadas de fortes ventos, atingiram principalmente as regiões dos bairros Bairro Novo, Boqueirão, Cajuru, Boa Vista, Tatuquara e Centro.

Ainda conforme a Defesa Civil da cidade, 65 casas tiverem os telhados danificados na Capital. Os moradores fizeram o pedido para entrega emergencial de lona e foram atendidos pelos guardas municipais.

Duas quedas de árvore foram registradas, nas regionais Boqueirão e Tatuquara.

Até o momento, não há relatos de vítimas ou pessoas que precisaram deixar suas casas por conta dos estragos (desabrigados ou desalojados).Tocador de vídeo00:0000:12

De acordo com o Simepar (Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná) a causa do fenômeno pode estar ligada ao encontro da umidade vinda do oceano com a atmosfera aquecida na região leste do estado.

Em algumas regiões, o volume da chuva de granizo foi tamanho a ponto de cobrir ruas e rodovias de gelo.

Responsável pelo trecho da BR-277 no limite entre Curitiba e São José dos Pinhais, a concessionária Ecovia orientou motoristas a reduzirem a velocidade no trecho.Tocador de vídeo

Estudante recebe pedaço de madeira no lugar de notebook comprado na internet

Beatriz Staudinger fez uma compra online, mas o produto chegou com defeito e ela solicitou a troca. Em seguida, recebeu um pedaço de madeira enviado pela empresa.

Por Bruno Fontes, TV Globo

05/10/2020 13h04  Atualizado há 10 horas


Estudante compra computador pela internet e recebe pedaço de madeira no lugar

https://imasdk.googleapis.com/js/core/bridge3.415.1_pt_br.html#goog_307945253–:–/–:–

Estudante compra computador pela internet e recebe pedaço de madeira no lugar

As compras online se tornaram rotina para muitos consumidores, sobretudo no período da pandemia da Covid-19. No caso da estudante Beatriz Staudinger, o presente comprado pela internet no aniversário da jovem provocou transtornos para a família (veja vídeo acima).

Beatriz se prepara para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e pediu de presente um notebook para acompanhar as aulas online. “Eu não estava conseguindo estudar direito, pelo celular não é a mesma coisa, é muito ruim. Às vezes tem que parar e dar um print para poder ver direito o que está no quadro”, contou.

Quando o notebook chegou em casa, Beatriz viu que o aparelho estava quebrado. O pai dela, Bruno Staudinger, advogado e integrante da Comissão de Defesa do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Pernambuco, procurou a empresa que vendeu o produto e solicitou uma troca amigável, mas disse que não recebeu o retorno desejado.

“Deram um prazo para a gente para recolher o aparelho defeituoso, não trocar, só recolher, e, mesmo assim, não cumpriram com esse prazo”, afirmou.

Beatriz Staudinger recebeu pedaço de madeira no lugar do notebook que havia comprado pela internet — Foto: Reprodução/TV Globo

Beatriz Staudinger recebeu pedaço de madeira no lugar do notebook que havia comprado pela internet

Depois de dois meses de espera e uma ação judicial, a família recebeu outra caixa da empresa, mas veio a surpresa registrada em vídeo pela família. “Abri aqui e veio uma madeira, não tem mais nada dentro da caixa”, relatou a jovem no vídeo.

Sem o notebook, Beatriz continuou os estudos pelo celular, mas o pai dela judicializou mais uma ação para tentar resolver o problema. “Entendo que isso é um crime contra o consumidor, vou relatar isso ao juiz, esse descaso. Estamos buscando a retratação, tanto a troca do aparelho quanto a questão da indenização por danos morais”, declarou.

Resposta da empresa

Em resposta à TV Globo, a empresa Casas Bahia afirmou que repudia qualquer tipo de prática danosa ao consumidor e que está investigando, junto às áreas responsáveis, o que aconteceu com relação a esse caso. Também disse que está em contato com a família para entregar o notebook o mais rápido possível.